MENU
PÉ DIABÉTICO - TRATAMENTOS

PÉ DIABÉTICO - TRATAMENTOS

O pé diabético é uma complicação crônica do Diabetes Mellitus, caracterizada pela presença de infecção, úlcera e/ou destruição dos tecidos profundos dos pés dos pacientes diabéticos, associado a alterações dos nervos, além do que, as úlceras do pé diabético costumam coexistir com insuficiência vascular e constituem uma das principais causas da gangrena e amputação nos diabéticos.

Dessa forma, é importante ressaltar que o pé diabético é uma das poucas complicações crônicas, do Diabetes Mellitus, passível de prevenção primária, ou seja, evitar complicações graves, que, via de regra, podem levar a infecções generalizadas e até perda do membro.

Diante disso, pode-se assegurar que a prevenção da úlcera no pé diabético pode reduzir em até 85% o risco de perda do membro afetado pela doença, ou seja, desde o diagnóstico de diabetes mellitus, o paciente deverá fazer avaliação contínua e manter acompanhamento regular com o Angiologista ou Cirurgião Vascular para tratar e, principalmente, evitar possíveis lesões em seus pés.

Sintomas:

Os sintomas do pé diabético variam conforme as origens das complicações.

Neuropática: há sensação de formigamento, queimação ou dormência.
Vascular: os pés ficam frios, pálidos, com a pele fina e com pulsos diminuídos, podendo também ficar inchados.
Pés infecciosos: os sintomas incluem vermelhidão (edema), dor, hipersensibilidade e inflamação com pus.

Cuidados diários para evitar complicações no Pé Diabético:

- Examine os seus pés diariamente;
- Mantenha os pés limpos e hidratados;
- Pratique exercício físico;
- Evite ficar na mesma posição por muito tempo;
- Utilize meias sem costura;
- Não ande descalço;
- Tenha cuidado na hora de cortar as unhas;
- Utilize calçados adequados;
- As mulheres devem dar preferência a saltos quadrados que tenham, no máximo, 3 cm de altura, além disso, é melhor evitar o uso de sapatos apertados, duros, de plástico, de coro sintético, com ponta fina, saltos muito altos e sandálias que deixam os pés desprotegidos, desse modo, recomenda-se a não utilização de calçados novos, por mais de uma hora por dia, até que estejam macios e confortáveis aos pés.

Tratamento do Pé Diabético:

O pé diabético é um desafio clínico. As úlceras do pé diabético representam um risco enorme à qualidade de vida do paciente, aumentando o tratamento, portanto, a principal forma de cuidado é a prevenção, como citado acima.

Desta forma, com algumas medidas, é possível reduzir as taxas de amputação em 49-85% por meio de uma estratégia de tratamento que combine a prevenção, uma equipe interprofissional no tratamento da diabetes, serviços especializados e monitoramento rigoroso, de modo que, o tratamento do pé diabético deve ser feito com a orientação de um médico especialista, que, por certo, irá definir o tratamento em função do tipo e da gravidade da lesão, que pode envolver o uso de antibióticos, pomadas, curativos e, em casos mais graves, cirurgias. O grau de gravidade é determinado pela dificuldade na cicatrização.

Enfim, seguir as orientações do médico angiologista/cirurgião vascular, manter uma boa alimentação, hidratar-se, dormir, bem como, evitar o consumo de bebidas alcoólicas e não fumar, são hábitos que auxiliam na qualidade de vida do paciente.

Faz bem cuidar da saúde. E nós te ajudamos com isso.

Dr. Fabio Lemos Campedelli
CRM/GO 14.331 - GO RQE 7128 | 7235 | 7236
Médico, Cirurgião Vascular e Endovascular
Angiorradiologia
Fonte: https://www.sbacv.org.br/
http://www.endocrino.org.br

Pré agendar exame

Preencha todos os campos
Escreva seu nome
Escreva seu email
Escreva seu telefone
Escreva sua mensagem

Contato

Horários de atendimento

Seg à Sex - 8h às 18h
Para atendimento em dias e horários especiais
(somente unidade Órion Business) entre em contato nos telefones acima.

Serviços relacionados

ECO DOPPLER VENOSO

ECO DOPPLER VENOSO