HOME / BLOG DO ANGIOLOGISTA

Escleroterapia é com angiologista e cirurgião vascular


Campanha Escleroterapia é com angiologista e cirurgião vascular

 

Por que devo fazer a escleroterapia com um médico angiologista/cirurgião vascular?  

Porque somente o angiologista e/ou cirurgião vascular são especialistas na doença varicosa e poderão diagnosticar corretamente o problema. Somente ele saberá, com segurança, qual a melhor técnica a ser empregada em cada caso, e a verdadeira dimensão de suas varizes (elas podem ser um problema maior do que aparentam e requerer tratamento cirúrgico, por exemplo).

Quais os riscos de se fazer o procedimento com profissional não especializado?

Embora o método seja aparentemente simples, não está isento de complicações gerais e locais, quando realizado por não especialista. Pior ainda quando não médico. Entre essas complicações estão: feridas (úlceras de difícil cicatrização), manchas escuras, flebites superficiais ou trombose venosa profunda (formação de coágulo em uma veia superficial ou veia profunda não esperadas). Apenas o médico especializado tem capacidade para tratar corretamente esse problema

Quais são os tipos de tratamento para varizes?

Escleroterapia com substância líquida – É feita através da aplicação de uma injeção com produto esclerosante diretamente nas varizes. A escleroterapia de varizes pode ser realizada com produtos disponíveis no mercado. O médico angiologista /cirurgião vascular saberá escolher o melhor para cada caso.

Escleroterapia com espuma – Está reservada para certos casos especiais e consiste em aplicar uma substância esclerosante, em forma de espuma densa, diretamente nas varizes.

Escleroterapia a laser – Em geral, é utilizada em associação com a escleroterapia líquida ou espuma. O laser trata as varizes por cauterização enquanto a escleroterapia líquida ou espuma trata por inflamação do vasinho. A escleroterapia a laser não é recomendada para pessoas de pele negra ou muito bronzeadas.

Quais são as consequências de varizes não tratadas?

A doença varicosa, seja ela de que tamanho for, não pode ser considerada apenas um problema de desarmonia das pernas. Quando não tratadas, as varizes podem desencadear, ao longo da vida, sérios problemas de saúde. Entre esses, tromboflebites, tromboses venosas e até embolia pulmonar. Além disso, a doença venosa crônica pode, com o passar do tempo, levar ao escurecimento, eczema e hemorragias (sangramentos espontâneos) na perna acometida, culminando com a úlcera varicosa, que quase sempre é de difícil tratamento.

Quais são os tipos de varizes?

De uma forma geral, as varizes são veias dilatadas, tortuosas que não exercem mais, de forma eficiente, a função de levar o sangue de volta ao coração. Existem três tipos de varizes: as telangiectasias, veias muito finas, de cor rosa ou violácea, também conhecidas como teias de aranha, com calibres entre 0,1 e 1mm; as reticulares, maiores que as anteriores, com calibre médio até 4 mm; e as veias varicosas de grossos calibres, acima desse diâmetro

Quais são os sintomas?

 

Geralmente, os sintomas são dor, sensação de peso e edema (inchaço) nos membros inferiores.

Copyright © angiogyn.com.br. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: